- Anunciante -spot_img
InícioAgronegócioAbate de fêmeas registra o menor volume dos últimos 10 anos

Abate de fêmeas registra o menor volume dos últimos 10 anos

- Anúncio -spot_img

De olho no preço do bezerro, produtores retém vacas e reduz oferta de animais prontos para o abate.

O abate de fêmeas atingiu o menor patamar dos últimos 10 anos e somou 10,8 milhões de animais em 2020. No comparativo anual, a queda no número foi de 18%, sendo que em 2019 foram abatidas 13,2 milhões de fêmeas, com base nos dados do levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ao fazer um recorte dos dados, observamos que a queda no abate de vacas foi maior do que a registrada em novilhas, apontando que os produtores optaram por reter até mesmo as fêmeas que poderiam ser descartadas. Em 2020, 7,7 milhões de vacas foram abatidas, 19,5% a menos do que em 2019, quando foram contabilizadas 9,5 milhões. As novilhas registraram queda de 3,6 milhões, em 2019, para 3,1 milhões em 2020, baixa de 13,7%.

De acordo com o diretor da Neo Agro Consultoria, Luciano Vacari, é possível observar que, mesmo com o preço da arroba em alta, o produtor que faz cria está de olho no mercado de bezerro, que também segue valorizado. “Com a grande procura por bezerro e consequente valorização, o pecuarista optou por segurar a vaca no pasto. A longo prazo, isso representa que a oferta de animais deve aumentar a partir de 2022, quando os animais deverão ser desmamados”.

Ainda segundo Vacari, os dados anuais do abate de fêmeas são indicadores importantes porque mostram em que estágio o ciclo da pecuária se encontra. “Historicamente, quando a arroba está em alta, o bezerro se valoriza e o abate de fêmeas cai, justamente para garantir produção e aproveitar a alta. Assim, quando a oferta de animais aumentar, o preço tende a cair e a retenção de vaca passa a representar prejuízo. O que poderá ser observado nos próximos anos”.

O abate de fêmeas começou a cair, pela última vez, entre 2014 e 2015, depois que o preço do bezerro sofreu uma valorização de 9,6% entre os anos de 2013 e 2014. O abate cresce a partir de 2017, seguiu em alta nos dois anos seguintes e cai novamente agora.

O total de animais abatidos também diminuiu em 2020, comprovando a menor oferta de maneira geral no mercado. Em 2019, 32,4 milhões de bovinos foram abatidos, quase 3 milhões a mais do que o volume registrado em 2020, que fechou em 29,6 milhões de animais.

Mato Grosso

O abate de fêmeas também registrou queda de aproximadamente 20% em Mato Grosso, totalizando 1,9 milhão de animais em 2020. São 500 mil fêmeas a menos do que foi registrado em 2019. O volume de vacas entregues aos frigoríficos também foi o menor desde 2010, 1,1 milhão, e o denovilhas somou 797 mil abates ano passado.

A participação de fêmeas foi de 38% de um total de 5,07 milhões de bovinos abatidos em 2020 no estado de Mato Grosso. Este foi o menor volume de animais abatidos desde 2017.

Confira:

FONTE: Primeira Hora
- Anúncio -spot_img

Enquete

O que você esta achando da atual administração do seu Município?

- Anúncio -spot_img

Estamos Conectados

16,985FãsCurtir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever

Mais Lida

- Anúncio -spot_img

Matérias Relacionadas

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui