- Anunciante -spot_img
InícioAgronegócioOferta de bois aumenta no mercado e preços da arroba estabilizam

Oferta de bois aumenta no mercado e preços da arroba estabilizam

- Anúncio -spot_img

Segundo analista da Safras & Mercado, a oferta de boiadas aumenta na medida em que as pastagens perdem qualidade.

O mercado físico de boi gordo registrou preços pouco alterados nesta quinta-feira, 22. Segundo o analista de
Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos retornaram do feriado tentando exercer pressão sobre o pecuarista em alguns estados.

“A oferta de boiadas aumenta na medida que as pastagens perdem qualidade. Os mapas meteorológicos sinalizam para inexpressivo volume de chuvas nos próximos quinze dias, o que tende a reduzir sistematicamente a capacidade de retenção dos pecuaristas. O auge da safra de boi gordo se aproxima, período em que os frigoríficos encontrarão maior facilidade na composição de suas escalas de abate”, disse Iglesias.

Na semana cortada pelo feriado de Tiradentes, o Mato Grosso ainda figura como exceção, com relatos de negociações acima da referência média em todo o estado.

Conforme Iglesias, a oferta de animais terminados voltará a ser uma preocupação na entressafra. “Com os custos em alta, a tendência é de queda do confinamento de primeiro giro. A expectativa é que haja avanços mais consistentes da demanda durante o segundo semestre, em linha com a continuidade da vacinação no país, permitindo a retomada da atividade econômica com um menor risco de colapso do sistema de saúde”, assinalou.

Em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou a R$ 315,, ante R$ 315 – R$ 316 na terça-feira. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 300, inalterado. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 305, estável. Em Cuiabá, o preço indicado foi de R$ 310 – R$ 311, contra R$ 309 – R$ 310. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 310 a arroba, estáveis.

Atacado

No mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem firmes. Conforme Iglesias, o ambiente de negócios ainda sugere por pouco espaço para reajustes durante a segunda quinzena do mês, período que conta com menor apelo ao
consumo.

Para a virada de mês, com um processo de retomada melhor consolidado em muitos estados é possível que haja maior espaço para reajustes. No geral o consumidor médio ainda opta por proteínas mais acessíveis, em especial a
carne de frango, a menos custosa dentre as principais proteínas de origem animal consumidas no país, disse.

Com isso, o corte traseiro permaneceu em R$ 20,65 o quilo. O corte dianteiro teve preço de R$ 18 o quilo, e a ponta de agulha permaneceu em R$ 17,90 o quilo.

Fonte: Canal Rural

- Anúncio -spot_img

Enquete

O que você esta achando da atual administração do seu Município?

- Anúncio -spot_img

Estamos Conectados

16,985FãsCurtir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever

Mais Lida

- Anúncio -spot_img

Matérias Relacionadas

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui