InícioAgronegócioMilho e soja continuam em queda; veja as notícias desta terça-feira

Milho e soja continuam em queda; veja as notícias desta terça-feira

- Anúncio -spot_img

Enquanto isso, a arroba do boi gordo se mantém próxima ao recorde histórico de R$ 320.

  • Boi: arroba inicia semana estável
  • Milho: tendência de queda permanece no mercado brasileiro
  • Soja: cotação despenca e chega ao menor nível desde final de fevereiro
  • Café: baixa em Nova York reflete no Brasil
  • No exterior: bolsas dos EUA renovam recordes
  • No Brasil: IBC-Br de abril fica abaixo do esperado

Agenda:

  • Brasil: dados sobre as lavouras do Paraná (Deral)
  • EUA: vendas do varejo de maio
  • EUA: produção industrial de maio (Fed)

Boi: arroba inicia semana estável

O indicador do boi gordo do Cepea, calculado com base nos preços praticados em São Paulo, teve um dia de preços estáveis e segue próximo do recorde histórico de R$ 320 por arroba. A cotação ficou em R$ 319,45 por arroba. Com isso, no acumulado do ano, o indicador teve uma alta de 19,58%. Em 12 meses, os preços alcançaram 52,16% de valorização.

Na bolsa brasileira, a B3, os contratos futuros do boi gordo tiveram um dia misto, com a curva alternando entre altas e baixas, e com variações leves. O vencimento para junho passou de R$ 318,25 para R$ 318,40, o para outubro caiu de R$ 329,15 para R$ 329, e o para novembro, de R$ 329,75 para R$ 329,60 por arroba.

Milho: tendência de queda permanece no mercado brasileiro

O indicador do milho do Cepea teve um dia de baixa dos preços e chegou ao nono dia consecutivo de queda. A cotação variou -0,62% em relação ao dia anterior e passou de R$ 94,88 para R$ 94,29 por saca. Apesar disso, no acumulado do ano, o indicador valorizou 19,89%. Em 12 meses, os preços alcançaram 100,79% de alta.

Os contratos futuros do milho negociados na B3 tiveram quedas ainda maiores que nos últimos dias, seguindo movimento de Chicago e do dólar em relação ao real. O vencimento para julho passou de R$ 92,16 para R$ 89,98, do setembro caiu de R$ 94,70 para R$ 90,84, e o para março de 2022 recuou de R$ 97,95 para R$ 93,89 por saca.

Soja: cotação despenca e chega ao menor nível desde final de fevereiro

O indicador da soja do Cepea para o porto de Paranaguá (PR) teve um dia de baixa dos preços e chegou ao menor valor desde o dia 25 de fevereiro. A cotação variou -1,63% em relação ao dia anterior e passou de R$ 169,41 para R$ 166,65 por saca. Ainda assim, no acumulado do ano, o indicador valorizou 8,28%. Em 12 meses, os preços alcançaram 53,93% de alta.

Em Chicago, o mercado também teve queda forte seguindo a tendência observada em grande parte da semana passada. A principal pressão segue sendo do clima, com previsão de chuvas no Meio Oeste dos Estados Unidos. O vencimento para novembro recuou 3,02% e passou de US$ 14,386 para US$ 13,952 por bushel.

Café: baixa em Nova York reflete no Brasil

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, o recuo observado nas cotações do café arábica em Nova York refletiu nas principais praças brasileiras. No sul de Minas Gerais, o arábica bebida boa com 15% de catação caiu de R$ 840/845 para R$ 820/825, enquanto que no cerrado mineiro, o bebida dura com 15% de catação passou de R$ 850/855 para R$ 830/835.

Em Nova York, as cotações do café arábica recuaram pelo segundo dia consecutivo e se afastaram ainda mais do patamar de US$ 1,60 por libra-peso. O vencimento para setembro caiu 2,13% na comparação diária e passou de US$ 1,596 para US$ 1,562. O mercado esteve pressionado negativamente pelas notícias de chuvas em regiões produtoras no Brasil nos últimos dias.

No exterior: bolsas dos EUA renovam recordes

Apesar de os três principais índices das bolsas dos Estados Unidos não fecharem na mesma direção, o S&P 500 e o Nasdaq 100 subiram e registraram novos recordes históricos de fechamento. Apenas o Dow Jones Industrial teve queda. As commodities tiveram um dia em que as baixas predominaram, porém, o petróleo seguiu em tendência de alta.

Os investidores permanecem no aguardo da comunicação da política monetária do Banco Central dos Estados Unidos (Fed), marcada para esta quarta-feira, 16. A taxa futura do título com prazo de dez anos do Tesouro norte-americano teve uma leve alta e voltou a se aproximar de 1,50% ao ano, após cair abaixo desse nível na semana passada.

No Brasil: IBC-Br de abril fica abaixo do esperado

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) de abril, que é calculado mensalmente para estimar a variação do PIB, teve alta de 0,44% na comparação mensal e de 15,92% na anual. Dessa forma, os resultados ficaram abaixo das expectativas de mercado, que projetavam alta mensal de 1,35% puxada pelo varejo e pelos serviços.

Apesar do resultado abaixo do esperado, o crescimento positivo em abril, o impulso do exterior e o avanço da vacinação garantiram mais uma alta do Ibovespa. O índice teve uma alta de 0,59% e fechou o dia cotado a 130.207 pontos, sendo que na máxima do dia chegou a superar os 131 mil pontos. Enquanto isso, o dólar comercial caiu 1,01% a R$ 5,071.

Fonte: Canal Rural

- Anúncio -spot_img

Enquete

O que você esta achando da atual administração do seu Município?

- Anúncio -spot_img

Estamos Conectados

16,985FãsCurtir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever

Mais Lida

- Anúncio -spot_img

Matérias Relacionadas

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui