Quadrilha que furtava fertilizantes em Alto Garças é presa em flagrante

0
691

Fazenda do Grupo Atto foi alvo de criminosos por duas ocasiões, sendo que na segunda a polícia teve êxito e conseguiu deter os bandidos.

A Polícia Judiciária Civil (PJC) realizou a prisão de parte de uma quadrilha que estava realizando furto de fertilizantes na Fazenda Seriema, em Alto Garças, pertencente ao Grupo Atto, de Rondonópolis.

Na ação, cinco pessoas acabaram sendo presas em flagrante na ação e conduzidas para a Delegacia de Polícia de Alto Garças.

Segundo as informações que constam no Boletim de Ocorrência (BO), um vigilante da Fazenda Adriana, do mesmo grupo, comunicou a polícia que um caminhão de cor vermelha e um veículo Gol de cor branca estavam dentro da fazenda Seriema, a cerca de 15km da sede, com vários indivíduos no local praticando o crime de furto.

Uma equipe da PJC, que se deslocava de Rondonópolis para Alto Garças para atendimento da ocorrência, já ciente da informação, acabou encontrando na BR-364, nas proximidades de Garça Branca, o caminhão citado pela segurança interna da fazenda.

 

Em outro furto, fazenda teve 20 toneladas de fertilizantes subtraídos – (Foto: Divulgação)

 

Os policiais deram ordem de parada ao condutor, mas o mesmo não respeitou, sendo necessário atirar contra os pneus do veículo.

No caminhão estavam seis toneladas de fertilizantes que foram subtraídos da fazenda. Cinco homens foram presos na ação que ocorreu na rodovia, que contou ainda com o apoio da Polícia Militar (PM).

Segundo consta ainda no BO, no último sábado (19) a mesma propriedade foi alvo de furto, sendo levados do local cerca de 20 toneladas de fertilizantes.

A investigação deve apurar se o mesmo grupo praticou o furto anterior, bem como os demais integrantes da quadrilha que estavam no Gol vermelho que prestou apoio ao furto, que a segurança interna da fazenda acredita serem mais cinco pessoas.

O gerente da fazenda fez o alerta sobre os furtos que estão ocorrendo na região, para que as propriedades vizinhas se previnam de possíveis ações de criminosos.

Fonte: A Tribuna

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui