Análise: Botafogo ainda peca, mas conta com brilho de Honda em segundo clássico da trilogia

0
24
Análise: Botafogo ainda peca, mas conta com brilho de Honda em segundo clássico da trilogia

Defesa mostra erro parecido com o do clássico de domingo passado. Camisa 9 se coloca ainda mais como titular no comando do ataque e parceiro ideal de Kalou

Melhores momentos: Botafogo 1 x 0 Vasco pela 4ª fase da Copa do Brasil

O banco de reservas do Botafogo estar à beira do campo nos acréscimos do segundo tempo pedindo o fim do jogo ilustra bem o sentimento com a vitória por 1 a 0 em cima do Vasco no jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil. O alívio com o triunfo que veio pela primeira vez desde o segundo jogo contra o Paraná, em 26 de agosto, pela mesma competição, serve para dar confiança, tranquilidade e estabilidade para um time que vinha sofrendo nos minutos finais.

Os oito gols que atormentaram o time de Paulo Autuori nos cinco jogos anteriores – especialmente aqueles depois dos 40 minutos – ecoavam no elenco e na torcida. Mas, desta vez, o Botafogo conseguiu segurar o resultado. Em parte por méritos da defesa e também por vacilos do ataque adversário, principalmente quando Cano perdeu boa chance no primeiro tempo.

Matheus Babi observa sua cabeçada chegar ao fundo da rede do Vasco — Foto: André Durão

A etapa inicial foi bem equilibrada, para não dizer ruim. Na já tradicional formação com três zagueiros, sem a bola um 5-3-2 e atacando virava um 3-5-2, poucas oportunidades de gol foram criadas. A defesa por vezes ficava espaçada com relação ao meio de campo e dependia da saída de bola com os zagueiros com passes verticais – o que nem sempre funcionava. Na parte defensiva, um vacilo quase foi fatal, mas o reflexo de Gatito salvou o time de sair atrás no placar.

De maneira geral, o Botafogo conseguiu segurar o ímpeto vascaíno, principalmente pelas pontas. Kevin e Victor Luis se destacaram na defesa e os pontas do rival não criaram muitas oportunidades. A pressão inicial alvinegra até empolgou, mas o time não conseguiu manter a pegada ao longo dos 45 minutos iniciais.

Primeiro tempo foi bastante pegado e não teve tantas oportunidades de gol — Foto: André Durão

No segundo tempo, com Forster um pouco mais adiantado num papel de primeiro volante, o Botafogo voltou a criar boas chances. Chutando com maior frequência, quase saiu na frente com um gol de Bruno Nazário, mas por pouco não foi surpreendido com uma bomba de Marcos Junior que acertou a trave de Gatito após impressionante efeito.

Eis que aparece o dono dos últimos três gols do Botafogo para trazer um pouco de leveza aos corações alvinegros no amarrado clássico da noite de quinta-feira. Matheus Babi recebeu cruzamento na medida de Bruno Nazário para cabecear e quase ter a finalização defendida por Fernando Miguel.

Mas o mais importante na jogada do gol foram os dois passes de Honda para o camisa 10 do Bota. O primeiro deles tirou a marcação de Henrique que se esticou todo no carrinho, mas não alcançou. Nazário devolveu para o japonês, que colocou na frente e tirou mais um marcador da jogada. Há de se destacar também a bola certeira para o centroavante e como ele subiu livre para ganhar de Miranda na cabeçada.

Kalou e Babi comemoram o gol do Botafogo com mais uma dancinha — Foto: Vitor Silva/Botafogo

  • Marcação nas laterais com Kevin e Victor Luis foram eficientes e obrigavam o Vasco a afunilar o jogo;
  • Honda ditou o ritmo no meio de campo do Botafogo e organizou o jogo do time;
  • Babi mostra mais uma vez o faro de artilheiro, precisou de apenas duas finalizações para marcar.
  • Defesa esteve desatenta em um lance muito parecido com o segundo gol do Vasco no primeiro clássico e obrigou Gatito a fazer boa defesa;
  • Por vezes, time era lento nas transições da defesa para o ataque e permitia que a defesa adversária se organizasse;

O jogo de volta entre Botafogo e Vasco pela quarta fase da Copa do Brasil será na próxima quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), em São Januário. Como não existe o gol fora de casa como critério de desempate, o Botafogo avança até mesmo se empatar. Em caso de derrota por um gol de diferença a decisão será nos pênaltis. Pelo Brasileiro, o próximo compromisso é domingo, às 18h30, no Nilton Santos, contra o Santos.

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui