PF faz operação contra fraude no FGTS e mira advogado suspeito de sacar R$ 5 milhões de forma irregular

0
27
PF faz operação contra fraude no FGTS e mira advogado suspeito de sacar R$ 5 milhões de forma irregular

Dinheiro desviado seria usado na construção de casas no Piauí. Segundo a corporação, investigado é alvo de mandado de prisão e teve bens como mansão e carro de luxo sequestrados. Ação cumpre outros 14 mandados de busca em Goiás e São Paulo.

PF deflagra ação contra fraude no FGTS e mira advogado que sacou R$ 5 milhões

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (17) uma operação que apura fraude no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A ação cumpre um mandado de prisão contra um advogado, em Goiânia, suspeito de realizar uma transferência irregular no valor de R$ 5 milhões para a conta bancária dele. A corporação também conseguiu na Justiça o sequestro de bens do investigado, como imóveis e carros de luxo, no valor de R$ 2 milhões.

O valor sacado indevidamente, por meio de documentos falsos, deveria ser destinado para construção de unidades habitacionais no Piauí. De acordo com a PF, o advogado – cujo nome não foi revelado – está com a inscrição cancelada nas seções da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Goiás e São Paulo. Até as 8h, ele ainda não havia sido detido.

O G1 contatou, por e-mail, a OAB-GO e a Caixa Econômica Federal, responsável pelo FGTS, respectivamente às 7h24 e 7h55, e aguarda retorno.

PF cumpre mandado na mansão de advogado em condomínio fechado, que foi sequestrado pela Justiça — Foto: PF/Divulgação

Além da ordem de prisão, 60 policiais estão nas ruas para cumprir outros 14 mandados de busca e apreensão nos seguintes locais:

Entre os bens sequestrados estão uma mansão em um condomínio de luxo de Goiânia, avaliada em R$ 1,2 milhão, uma chácara, um carro esportivo e três caminhões.

PF deflagra operação contra fraude no FGTS e mira advogado suspeito de sacar R$ 5 milhões de forma irregular — Foto: PF/Divulgação

Segundo a PF, o advogado desviou o montante, que deveria ser destinado a construção de casas habitacionais em Teresina (PI), por meio de uma ação judicial, na qual ele utilizou uma “falsa representação”.

O documento continha, conforme a corporação, “argumentos fictícios e fraudulentos”. Mesmo assim, com ele, o suspeito conseguiu a transferência dos valores para uma conta judicial em Corumbá de Goiás.

Posteriormente, ele transferiu os R$ 5 milhões para uma conta dele e, finalmente, distribuiu entre outras várias contas. A polícia busca identificar se outras pessoas participaram do crime.

Veja outras notícias da região no G1 Goiás.

Newsletter G1Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui