Liberação da 3ª parcela para cada beneficiário depende de reanálise do Auxílio Emergencial

0
19
Liberação da 3ª parcela para cada beneficiário depende de reanálise do Auxílio Emergencial

Os beneficiários do auxílio emergencial que fazem parte do CadÚnico, se inscreveram no site ou aplicativo para o recebimento do benefício, vão ter que esperar um pouco mais para saber detalhes do pagamento da terceira parcela de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mulheres chefes de família.

O Ministério da Cidadania ainda não deu detalhes da divulgação do calendário de pagamento, dizendo apenas que seria na próxima semana. O calendário da terceira parcela estava programado para o dia 8 de junho, mas não foi divulgado.

Em uma transmissão nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro informou que os detalhes do calendário de pagamento seriam divulgados nesta semana, mas isso também não aconteceu.

Gastos do auxílio emergencial

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia, já foram gastos mais de R$ 81 bilhões com o pagamento do benefício. A medida, instituído em caráter de urgência por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), causou uma grande crise econômica e fez com que trabalhadores perdessem suas rendas.

O benefício contemplou 63,5 milhões de brasileiros. A Caixa Econômica Federal (CEF) é o banco responsável pelos pagamentos.

Reanálise pode bloquear beneficiários

Para o pagamento da terceira parcela do auxílio emergencial, o Governo vai reanalisar todos os cadastros que foram aprovados para saber se estão cumprindo os requisitos necessários.

Se a pessoa começou a receber o auxílio emergencial e, nesse tempo, conseguiu um trabalho formal, por exemplo, o pagamento da terceira parcela será vetado.

A regra também valerá para quem nesse tempo começou a receber um benefício previdenciário, como a aposentadoria.

O auxílio emergencial pode ser suspenso também nos casos da renda familiar ficar acima de três salários mínimos (R$ 3.135) ou caso a renda mensal per capita (por pessoa) da família passe a ser maior que meio salário mínimo (R$ 522,50).

Prazo para cadastro termina dia 2 de julho

Quem tem direito ao auxílio emergencial e ainda não se inscreveu para o recebimento do auxílio, o prazo para o cadastro é até o dia 2 de julho.

A solicitação do auxílio pode ser feita no site da Caixa ou no aplicativo Caixa – Auxílio Emergencial.

O término desse prazo não afeta o direito de quem já fez o pedido, mas ainda está em análise.

26 milhões de pedidos ao auxílio ainda estão em análise

De acordo com o Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev), órgão responsável pelo processamento dos dados, até o momento estão em processamento 2.642.071 requerimentos. Esse número equivale a 3,6% do total de solicitações recentes recebidas pela empresa, entre o período de 27 de maio e 18 de junho.

Do total de pedidos que ainda estão processados, 2.414.646 são referentes a cadastros realizados de 27 de maio a 16 de junho. Esses pedidos já estão sendo homologados pelo Ministério da Cidadania e, após a homologação, os resultados vão ser enviados para a Caixa planejar o pagamento.

Até o momento foram realizados 73,6 milhões de requerimentos e processados mais de 71 milhões.

Desse total, 34,4 milhões de CPF´s foram considerados elegíveis, 19,8 milhões inelegíveis e 16,7 milhões inconclusivos, ou seja, precisam de complementos para um novo envio.

Defensoria pública vai ajudar quem teve o benefício negado

Desde o início da pandemia do coronavírus, mais de 41 milhões de trabalhadores brasileiros que solicitaram o auxílio emergencial tiveram o benefício negado pelo governo. Pensando nisso, a Defensora Pública da União (DPU) vai atuar pelos trabalhadores que tiveram o benefício negado injustamente.

O atendimento é totalmente gratuito e vai começar na segunda-feira, 22, preferencialmente por telefone, WhatsApp ou e-mail. Os canais foram elegidos para evitar aglomerações, que ainda são contraindicadas por serem meio de propagação do novo coronavírus.

A DPU vai ajudar trabalhadores que possuem documentos que provam que a análise do governo está errada.

A ajuda também serve para quem teve o benefício negado por conta de alguma desatualização do cadastro que não é condizente com a situação atual.

Para receber atendimento, busque o contato da DPU mais próxima do seu domicílio no site do órgão, na sessão de contatos.

Caso seja necessário, o solicitante será chamado para comparecer pessoalmente em uma das unidades da Defensoria.

Não perca a nossa página no Facebook!

© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Veja Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui