MT prevê agravamento de pandemia na 2ª quinzena de abril e se prepara para ‘guerra’

0
20
Embora o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, já tenha afirmado durante as coletivas virtuais que não trabalha com “futurologia”, o Governo de Mato Grosso se prepara para lidar com um agravamento e aumento nos casos de coronavírus nos próximos dias. O próprio titular da Secretaria Estadual de Saúde (SES), reconhece que o pico de contágio da covid-19 deve acontecer entre a segunda quinzena deste mês e as primeiras duas semanas de maio.
Na última terça-feira (31 de março), ao responder questionamentos da imprensa, Figuereido ressaltou que não iria fazer nenhuma futurologia explicando que naquele momento eram 25 casos confirmados da doença no Estado.
À ocasião, o secretário foi questionado sobre quantos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) precisariam ser criados pelo Estado para atender a demanda de pacientes que devem ter diagnóstico posivio para a covid-19. Nesta sexta-feira (3), Mato Grosso já tem 41 casos confirmados de coronavírus e uma morte registrada no município de Lucas do Rio Verde. Um aumento de 46% em relação ao boletim com dados da última quarta-feira (1º).
“Dizer quantos precisariam ser criados é fazer uma futurologia que não vamos fazer. Nós não vamos desenhar nenhum cenário antes de chegarmos ao caso número 50 que é um número básico pra que a gente possa efetivamente jogar todas as condicionantes necessárias e traçar um possível cenário para o estado de Mato Grosso. O número de UTIs que temos é suficiente para o momento”, ressaltou.
Porém, logo depois, ainda na mesma transmissão, ele comentou sobre o cenário que a SES projeta para os próximos dias. “Nós temos uma previsão que a situação deve se agravar a partir da segunda quinzena de abril e início do mês de maio. Nós torcemos para que isso não aconteça, eu sou um cara otimista”, disse.
Na sequência, garantiu que a Secretaria Estadual de Saúde está atenta para a escalada do coronavírus em Mato Grosso, a exemplo de como vem ocorrendo em todo o País. “Nós estamos trabalhando para enfrentar o pior cenário, mas ainda acredito que o calor acolhedor de Cuiabá, de Mato Grosso possa fazer com que esse vírus tenha pouca resistência aqui. Mas pela torcida, pelo otimismo. Mas nem por isso vamos deixar de adotar todas as medidas necessárias para enfrentar na pior condição que essa epidemia possa nos causar”, enfatizou Figueiredo.
Recomendações
Ainda não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus.
– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas  como máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção.
Fonte: AgoraMT
Por Welington Sabino

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui